Dubitando, ad veritatem parvenimus... aliquando! Duvidando, chegamos à verdade... às vezes!
 
Alçado de uma das 9 portas do períbolo interior do templo de Jerusalém

Portas do períbolo interior do templo herodiano. Templo de Jerusalém. Herodian Temple. Temple of Herod. Temple d'Hérode. Temple hérodien. 5- Ameias e merlões;

4- Muralha (a: 40 CV);

3- 2 batentes (a: 30 CV, l: 15 CV) das portas, pilastras e lintéis, tudo com revestimento de ouro ou de prata;

2- 5 degraus até às portas;

1- 14 degraus até ao patamar.

Hipótese adotada:

O muro teria um entablamento de 8 CV de altura (1/5 X 40 CV), tal como as êxedras do interior. Os lintéis das portas seriam troços salientes do entablamento do muro, suportados por 2 pilastras por cada porta. Essas pilastras talvez tivessem capitéis coríntios. Por cima e dos lados dos batentes das portas, haveria ombreiras e montantes, que não ultrapassariam os 2 CV de largura (em cima e dos lados). Um vestígio de uma ombreira ou de um montante, descoberto entre as ruínas do templo, encaixa nessa medida, já que mede cerca de 50 cm de largura, embora não tenha a largura completa.

Tanto na descrição das portas do períbolo interior, como da porta do naós (o templo propriamente dito), F. Josefo usa a palavra hupérthuros [=sobre porta] (lintel). Em relação às portas do naós, refere kíonas d'enuphasménois («colunas tecidas»), evidentemente suportando um troço de entablamento. Em antigas representações da entrada do naós, é normal haver 2 colunas, uma de cada lado do véu da porta de entrada. Na descrição das portas do períbolo interior, F. Josefo não usa a palavra kíôn (coluna), mas parastás (pilastra). Esta última palavra pode referir-se a ombreiras das portas, mas ao dizer que a Porta Coríntia tinha 50 CV de altura e batentes de 40 CV de altura, é óbvio interpretar que os 10 CV de diferença (1/5 da altura) eram a altura de um entablamento suportado por pilastras. A dúvida é colocada em relação à diferença entre os 40 CV de altura do períbolo interior e os respetivos batentes de 30 CV. Em todo o caso, é habitual monumentos da Palestina da época greco-romana não obedecerem a grande rigor clássico, nomeadamente nas proporções, sendo habituais entablamentos que ocupam muito mais do que 1/5 da altura.


Outra hipótese:

O muro seria rematado apenas por uma cornija de 2,5 CV de altura, e as portas teriam lintéis de 7,5 CV de altura, com ombreiras salientes lateralmente no topo, em forma de T. Em antigas sinagogas e em antigos túmulos judaicos, são vulgares essas portas. Junto ao ângulo sudoeste do templo, foi encontrado um fragmento de uma ombreira como essas, de uma porta do períbolo exterior, mas nada nos garante que as portas do períbolo interior eram assim, até porque o outro fragmento, anteriormente citado, é demasiadamente estreito, mesmo não incluindo a largura total. Admitindo esta hipótese, o muro teria um aspeto demasiadamente maciço para fazer parte da obra mais importante dos Judeus.

Topo da página
DVBITANDO, AD VERITATEM PARVENIMVS... ALIQVANDO!