Dubitando, ad veritatem parvenimus... aliquando! Duvidando, chegamos à verdade... às vezes!
 
Concordância / Harmonia dos quatro Evangelhos (6)

Jesus procurado na festa dos Tabernáculos

| Jo 7, 2-13 |

Estava, porém, próxima a festa dos Judeus, a dos Tabernáculos.

Disseram, pois, para ele, os seus irmãos: «Retira-te daqui e vai para a Judeia, para que também os teus discípulos vejam as obras que tu fazes. Porque ninguém faz coisa alguma em oculto, e procura estar em evidência. Se fazes estas coisas, manifesta-te ao mundo!» Pois nem os seus irmãos acreditavam nele.

Diz-lhes, pois, Jesus: «O meu tempo ainda não chegou; mas o vosso tempo está sempre preparado. O mundo não vos pode odiar; mas odeia-me a mim, porque dou testemunho dele, que as obras dele são más.

Subi vós à festa; eu [ainda] não subo a esta festa, porque o meu tempo ainda não está completo».

E, tendo-lhes dito isto, ele permaneceu na Galileia.

Mas quando os seus irmãos subiram à festa, então também ele subiu, não publicamente, mas {como} em segredo.

Os Judeus, pois, procuravam-no na festa, e diziam: «Onde está ele?» E era um grande murmúrio a respeito dele nas multidões. Pois alguns diziam que «É bom». Outros {porém} diziam: «Não, mas engana o povo». Todavia, ninguém falava dele abertamente, por medo dos Judeus.

Jesus chega secretamente à festa dos Tabernáculos e ensina no templo

| Jo 7, 14-36 |

Já, porém, estando a festa no meio, Jesus subiu ao templo e ensinava.

Admiravam-se, pois, os Judeus, dizendo: «Como é que este sabe as Letras, sem ter estudado?»

Respondeu-lhes, pois, Jesus e disse: «A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou. Se alguém quiser fazer a vontade dele, saberá pela doutrina, se ela é de Deus, ou se eu falo por mim mesmo. Quem fala por si mesmo procura a sua própria glória; mas o que procura a glória daquele que o enviou, esse é verdadeiro, e injustiça nele não há.

Não vos deu Moisés a Lei? E nenhum de vós cumpre a Lei! Porque me procurais matar?» Respondeu a multidão: «Tens demónio! Quem te procura matar?»

Respondeu Jesus e disse-lhes: «Fiz uma obra e todos vos admirais. Porque Moisés vos deu a circuncisão (não que fosse de Moisés, mas dos Patriarcas), e num sábado circuncidais um homem. Se um homem recebe a circuncisão num sábado, para que a Lei de Moisés não seja violada, indignais-vos contra mim, porque tornei um homem todo são, num sábado?! Não julgueis segundo aparência, mas julgai segundo o justo juízo!»

Diziam, pois, alguns de Jerusalém: «Não é este o que procuram matar? E eis que ele está a falar abertamente, e nada lhe dizem. Porventura, conheceram, verdadeiramente, os chefes que este é o Cristo? Mas este, sabemos donde é; porém, o Cristo, quando vier, ninguém sabe donde ele seja».

Jesus, pois, clamou, ensinando no templo e dizendo: «E conheceis-me e sabeis donde sou?! E eu não vim de mim mesmo, mas é verdadeiro aquele que me enviou, o qual vós não conheceis. Eu conheço-o, porque venho dele, e ele enviou-me».

Procuravam, pois, prendê-lo; e ninguém pôs a mão nele, porque ainda não tinha chegado a sua hora. Muitos da multidão, porém, acreditaram nele, e diziam: «O Cristo, quando vier, porventura fará mais sinais do que este fez?»

Os Fariseus ouviram a multidão a murmurar estas coisas a respeito dele; e os sumos sacerdotes e os Fariseus mandaram guardas para o prenderem.

Disse, pois, Jesus: «Ainda estou convosco um pouco de tempo, e vou para aquele que me enviou. Procurar-me-eis e não {me} encontrareis; e onde eu estou, vós não podeis vir».

Disseram, pois, os Judeus uns aos outros: «Para onde irá ele, que nós não o encontraremos? Porventura, irá à Dispersão, entre os Gregos, e ensinará os Gregos? Que palavra é esta que disse: 'Procurar-me-eis e não {me} encontrareis'; e, 'Onde eu estou, vós não podeis vir'?»

Último dia da festa

| Jo 7, 37-53 |

No último dia, porém, o grande [dia] da festa, Jesus estava de pé e clamou, dizendo: «Se alguém tem sede, venha a mim e beba, quem acredita em mim! Como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre!» Isto, porém, disse ele a respeito do Espírito que tinham de receber os que acreditassem nele; pois ainda não havia Espírito, porque Jesus ainda não tinha sido glorificado.

Alguns dentre aquela multidão, pois, ouvindo estas palavras, diziam: «Este é, verdadeiramente, o profeta!» Outros diziam: «Este é o Cristo»; mas outros diziam: «Porventura, o Cristo vem da Galileia? Não disse a Escritura que o Cristo vem da descendência de David e da aldeia de Belém, donde era David?» Assim, fez-se uma divisão na multidão, por causa dele.

Alguns deles, porém, queriam prendê-lo; mas ninguém pôs as mãos nele.

Vieram, pois, os guardas junto dos sumos sacerdotes e dos Fariseus, e estes disseram-lhes: «Porque não o trouxestes?» Responderam os guardas: «Nunca um homem assim falou!» Responderam-lhes, pois, os Fariseus: «Porventura, também vós fostes seduzidos? Porventura, algum dos chefes acreditou nele, ou dos Fariseus? Mas esta multidão, que não conhece a Lei... são uns malditos!»

Diz Nicodemos para eles (aquele que antes veio até junto dele), sendo um deles: «Porventura, a nossa lei julga um homem, sem o ouvir primeiro e conhecer o que ele faz?» Responderam e disseram-lhe: «Porventura, tu também és da Galileia? Examina e vê que da Galileia não surge profeta».

{E voltaram cada um para sua casa.}

A mulher adúltera perdoada

| Jo 8, 1-11 |

{Mas Jesus foi para o Monte das Oliveiras.

De manhã cedo, porém, veio novamente para o templo, e todo o povo vinha até junto dele; e sentando-se, ensinava-os.

Os Escribas, porém, e os Fariseus trazem-lhe uma mulher surpreendida em adultério. E pondo-a no meio, dizem-lhe: «Mestre, esta mulher foi surpreendida em manifesto adultério! Na Lei, porém, Moisés mandou-nos apedrejar estas tais. Tu, porém, que dizes?» Isto diziam eles, tentando-o, para poderem acusá-lo.

Jesus, porém, inclinando-se, escrevia com o dedo na terra. Mas, como insistissem em interrogá-lo, ergueu-se e disse-lhes: «Aquele que está sem pecado, dentre vós, [seja] o primeiro que atira uma pedra contra ela!» E, inclinando-se novamente, escrevia na terra.

Ouvindo, porém, saíam um após outro, começando pelos mais velhos; e ficou só, e a mulher, no meio, de pé.

Erguendo-se, porém, Jesus disse-lhe: «Mulher, onde estão? Ninguém te condenou?» Ela, porém, disse: «Ninguém, Senhor!» Disse, porém, Jesus: «Nem eu te condeno; vai {e} desde agora não peques mais».}

Jesus, a luz do mundo

| Jo 8, 12-30 |

Jesus, pois, falou-lhes novamente, dizendo: «Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida».

Disseram-lhe, pois, os Fariseus: «Tu dás testemunho de ti mesmo: o teu testemunho não é verdadeiro».

Respondeu Jesus e disse-lhes: «E se eu dou testemunho de mim mesmo, o meu testemunho é verdadeiro, porque sei donde vim e para onde vou; mas vós não sabeis donde venho, nem para onde vou.

Vós julgais segundo a carne; eu não julgo ninguém. E se eu julgo, porém, o meu juízo é verdadeiro; porque não estou só, mas eu e o Pai que me enviou. E na vossa Lei, porém, está escrito que o testemunho de dois homens é verdadeiro. Sou eu que dou testemunho de mim mesmo, e o Pai que me enviou dá testemunho de mim».

Diziam-lhe, pois: «Onde está o teu pai?» Jesus respondeu: «Não me conheceis a mim, nem o meu Pai. Se me conhecêsseis a mim, também conheceríeis o meu Pai».

Disse estas palavras no Tesouro, ensinando no templo; e ninguém o prendeu, porque ainda não tinha chegado a sua hora.

Disse-lhes, pois, [Jesus] outra vez: «Eu vou; e procurar-me-eis e morrereis no vosso pecado. Para onde eu vou, vós não podeis vir». Diziam, pois, os Judeus: «Porventura, vai-se matar a ele próprio, porque diz: 'Para onde eu vou, vós não podeis ir'?»

E dizia-lhes [Jesus]: «Vós sois de baixo, eu sou do Alto; vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo. Disse-vos que morrereis nos vossos pecados: pois, se não acreditardes que eu sou, morrereis nos vossos pecados».

Diziam-lhe, pois: «Quem és tu?» Disse-lhes Jesus: «O princípio, o que vos digo... Muitas coisas tenho de dizer e julgar acerca de vós; mas aquele que me enviou é verdadeiro; e eu, o que ouvi dele, digo-o ao mundo». Eles não perceberam que lhes falava do Pai.

Disse {-lhes}, pois, Jesus: «Quando tiverdes levantado o Filho do Homem, então conhecereis que eu sou, e que nada faço de mim mesmo; mas como o Pai me ensinou, assim falo. E aquele que me enviou está comigo: não me deixou só; porque eu faço sempre as coisas que lhe agradam».

Dizendo ele estas coisas, muitos acreditaram nele.

Discussão sobre a descendência de Abraão

| Jo 8, 31-59 |

Dizia, pois, Jesus aos Judeus que acreditaram nele: «Se vós permanecerdes na minha palavra, sereis, verdadeiramente, meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará».

Responderam para ele: «Somos descendentes de Abraão, e nunca fomos escravos de ninguém; como dizes tu que 'Sereis livres'?»

Respondeu-lhes Jesus: «Amém, amém, digo-vos que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado. O escravo, porém, não permanece em casa eternamente; o filho permanece eternamente. Se, pois, o Filho vos libertar, sereis verdadeiramente livres. Sei que sois descendência de Abraão; mas, procurais matar-me, porque a minha palavra não penetra em vós. Eu digo o que vi junto do Pai; e vós, pois, fazeis o que ouvistes do pai».

Responderam e disseram-lhe: «O nosso pai é Abraão». Diz-lhes Jesus: «Se sois filhos de Abraão, fazei as obras de Abraão. Mas agora procurais matar-me, um Homem que vos disse a verdade que ouviu de Deus. Isso, Abraão não fez. Vós fazeis as obras do vosso pai».

Disseram-lhe, {pois}: «Nós não nascemos de prostituição; temos um Pai: Deus».

Disse-lhes Jesus: «Se Deus fosse o vosso Pai, vós me amaríeis, porque eu saí de Deus e vim; pois não vim de mim mesmo, mas ele enviou-me. Porque não conheceis a minha linguagem? Porque não podeis ouvir a minha palavra. Vós sois do pai Diabo, e quereis satisfazer os desejos do vosso pai. Ele era homicida desde o princípio, e não estava na verdade, porque não há verdade nele. Quando fala mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso e pai da mentira. Mas eu, porque digo a verdade, não acreditais em mim. Quem dentre vós me acusa de pecado? Se digo a verdade, porque é que vós não acreditais em mim? Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso vós não [as] ouvis, porque não sois de Deus».

Responderam os Judeus e disseram-lhe: «Não dizemos bem, nós, que tu és samaritano e tens demónio?»

Jesus respondeu: «Eu não tenho demónio; mas honro o meu Pai, e vós desonrais-me. Eu, porém, não procuro a minha glória; há quem a procura e julga. Amém, amém, digo-vos: Se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte».

Disseram-lhe {pois} os Judeus: «Agora sabemos que tens demónio! Abraão morreu, e os Profetas; e tu dizes: 'Se alguém guardar a minha palavra, nunca provará a morte'! Porventura és tu maior do que o nosso pai Abraão, que morreu? E os Profetas morreram! Quem te fazes a ti próprio??»

Respondeu Jesus: «Se eu me glorifico a mim mesmo, a minha glória nada é. É o meu Pai quem me glorifica, do qual vós dizeis que 'é o nosso Deus'; e não o conheceis. Mas eu conheço-o; e se disser que não o conheço, serei semelhante a vós: mentiroso. Mas eu conheço-o e guardo a sua palavra. Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia; e viu e alegrou-se».

Disseram, pois, os Judeus para ele: «Ainda não tens cinquenta anos e viste Abraão?!» Disse-lhes Jesus: «Amém, amém, digo-vos: Antes que Abraão existisse, eu sou».

Tomaram, pois, pedras para lhe atirarem; mas Jesus escondeu-se e saiu do templo.

Cura de um cego de nascença

| Jo 9 |

E passando, [Jesus] viu um homem cego de nascença.

E interrogaram-no os seus discípulos, dizendo: «Rabbi, quem pecou, este ou os seus pais, para que nascesse cego?» Respondeu Jesus: «Nem ele pecou nem os seus pais; mas [foi] para que nele se manifestassem as obras de Deus. É-nos necessário fazer as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; vem a noite, quando ninguém pode trabalhar. Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo».

Dito isto, cuspiu na terra e fez lodo com a saliva, e aplicou o lodo sobre os olhos dele, e disse-lhe: «Vai, lava-te na piscina de Siloé (que traduzido é: Enviado). Foi, pois, e lavou-se e voltou a ver.

Os vizinhos, pois, e os que o tinham visto antes (porque era mendigo), diziam: «Não é este o que estava sentado e mendigava?» Uns diziam que «É ele». Outros diziam: «Não, mas parece-se com ele». Ele dizia que «Sou eu!»

Diziam-lhe, pois: «Como se te abriram {então} os olhos?» Respondeu ele: «O homem chamado Jesus fez lodo, untou-me os olhos, e disse-me que 'Vai a Siloé e lava-te'. Tendo ido, pois, e tendo-me lavado, vi».

E disseram-lhe: «Onde está ele?» Ele diz: «Não sei».

Levam aos Fariseus o que fora cego. Era sábado, porém, o dia em que Jesus fez lodo e abriu os olhos dele.

Novamente, pois, os Fariseus também o interrogavam sobre como ele via. Ele, porém, disse-lhes: «Pôs-me lodo sobre os olhos, e lavei-me e vejo». Diziam, pois, alguns dos Fariseus: «Não é de Deus este homem, pois não guarda o sábado!» Outros {porém} diziam: «Como pode um homem pecador fazer estes sinais?» E havia divisão entre eles.

Dizem, pois, novamente, ao cego: «Tu que dizes do que abriu os teus olhos?» Mas ele disse que «É profeta!»

Os Judeus não acreditaram, pois, que ele tivesse sido cego e visse, até que chamaram os pais daquele que via; e interrogaram-nos, dizendo: «É este o vosso filho, que vós dizeis que nasceu cego? Como, pois, vê agora?» Os seus pais responderam, pois, e disseram: «Sabemos que este é o nosso filho e que nasceu cego. Mas como agora vê, não sabemos; ou quem abriu os olhos dele, nós não sabemos. Interrogai-o. Tem idade: ele falará por ele!» Isso disseram os seus pais, porque temiam os Judeus; porque os Judeus já tinham combinado que se alguém confessasse ser ele o Cristo, fosse expulso da sinagoga. Por isso, os seus pais disseram que «Tem idade: interrogai-o».

Chamaram, pois, pela segunda vez, o homem que fora cego, e disseram-lhe: «Dá glória a Deus! Nós sabemos que esse homem é pecador!» Respondeu, pois, ele: «Se é pecador, não sei; uma coisa sei: sendo cego, agora vejo!»

Disseram-lhe pois: «Que te fez? Como te abriu os olhos?» Respondeu-lhes: «Já vos disse e não ouvistes! Para que quereis ouvir novamente? Por acaso, também vós quereis tornar-vos discípulos dele?» E injuriaram-no e disseram: «Discípulo dele és tu! Nós, porém, somos discípulos de Moisés! Nós sabemos que Deus falou a Moisés. Este, porém, não sabemos donde é!»

Respondeu o homem e disse-lhes: «Nisto, pois, está a maravilha: que não sabeis donde é, e abriu-me os olhos! Sabemos que Deus não ouve pecadores; mas, se alguém é piedoso e faz a vontade dele, ele ouve-o! Desde [o princípio] do mundo, não se ouviu que alguém abrisse os olhos a um cego de nascença. Se este não fosse de Deus, nada poderia fazer!»

Responderam e disseram-lhe: «Tu nasceste todo em pecados, e ensinas-nos a nós?!...» E lançaram-no fora.

Jesus ouviu dizer que o tinham lançado fora; e, encontrando-o, disse: «Tu acreditas no Filho do Homem?» Respondeu ele e disse: «E quem é, senhor, para que acredite nele?» Disse-lhe Jesus: «Já o viste, e é ele quem fala contigo!» Ele, porém, afirmou: «Acredito, Senhor!» E adorou-o.

E disse Jesus: «Eu vim a este mundo para um juízo: para que os que não veem vejam, e os que veem se tornem cegos». Alguns dos Fariseus que estavam com ele, ouviram isto e disseram-lhe: «Porventura também somos nós cegos?» Disse-lhes Jesus: «Se fôsseis cegos, não teríeis pecado; mas agora dizeis que 'vemos', o vosso pecado permanece».

Jesus, o bom pastor

| Jo 10, 1-21 |

«Amém, amém, digo-vos: Quem não entra pela porta no redil das ovelhas, mas sobe por outra parte, esse é ladrão e salteador.

Mas o que entra pela porta é o pastor das ovelhas. A este o porteiro abre; e as ovelhas ouvem a sua voz; e ele chama as suas ovelhas pelo nome, e as conduz para fora. Depois de conduzir para fora todas as que lhe pertencem, vai diante delas, e as ovelhas seguem-no, porque conhecem a sua voz; mas não seguirão o estranho, antes fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos». Jesus disse-lhes esta parábola; mas eles não entenderam o que é que lhes dizia.

Disse-lhes, Jesus, novamente: «Amém, amém, digo-vos: Eu sou a porta das ovelhas. Todos quantos vieram {antes de mim} são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não os ouviram.

Eu sou a porta: se alguém entrar por mim, será salvo; e entrará e sairá, e encontrará pastagens. O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.

Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas. O mercenário e que não é pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o lobo, e deixa as ovelhas e foge (e o lobo arrebata-as e dispersa), porque ele é mercenário, e não se interessa pelas ovelhas.

Eu sou o bom pastor e conheço as minhas ovelhas, e as minhas conhecem-me; assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas.

E tenho outras ovelhas que não são deste redil, e é necessário eu trazê-las, e elas ouvirão a minha voz; e haverá um rebanho, um pastor.

Por isso, o Pai me ama, porque dou a minha vida para a tomar novamente. Ninguém a tira de mim, mas eu dou-a por mim mesmo: tenho poder para a dar e tenho poder para tomar novamente. Recebi este mandamento do meu Pai».

Fez-se, novamente, uma divisão entre os Judeus, por causa destas palavras. Muitos deles, porém, diziam: «Tem demónio e enlouqueceu! Porque o ouvis?» Outros diziam: «Estas palavras não são de um demoníaco! Porventura, pode um demónio abrir olhos de cegos?»

Jesus recusado numa aldeia da Samaria

| Lc 9, 51-56 |

Aconteceu porém que, quando se completaram os dias da sua assunção, ele determinou o aspeto de ir a Jerusalém.

E enviou mensageiros diante da sua face. E indo eles, entraram numa aldeia de Samaritanos, para lhe prepararem [a estadia]. E não o receberam, porque o seu aspeto era de quem ia a Jerusalém.

Vendo, porém, os discípulos Tiago e João disseram: «Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma?»

Voltando-se, porém, repreendeu-os. E foram para outra aldeia.

Condições para seguir Jesus

| Lc 9, 57-62 |

E indo eles no caminho, disse um [homem] para ele: «Seguir-te-ei para onde quer que vás». E disse-lhe Jesus: «As raposas têm tocas, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça!»

Disse, porém, a outro: «Segue-me!» Este, porém, disse: «{Senhor}, permite-me ir primeiro sepultar o meu pai». Disse-lhe, porém: «Deixa os mortos sepultar os seus mortos; tu, porém, indo, anuncia o Reino de Deus».

Outro, porém, disse: «Seguir-te-ei, Senhor; mas primeiro permite-me despedir-me dos que estão em minha casa». Jesus, porém, disse {para ele}: «Ninguém, lançando a mão ao arado e olhando para trás, é apto para o Reino de Deus!»

Missão dos setenta {e dois} discípulos

| Lc 10, 1-12 |

Depois disto, porém, designou o Senhor outros setenta {e dois}, e enviou-os dois a dois, diante da sua face, a toda a cidade e lugar aonde ele havia de ir.

Dizia, porém, para eles: «Na verdade, a seara é grande, mas os operários, poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara.

Ide; eis que vos envio como cordeiros no meio de lobos.

Não leveis bolsa, nem alforge, nem calçados; e a ninguém saudeis pelo caminho.

Em qualquer casa em que entrardes, porém, dizei primeiro: 'Paz a esta casa'. E se ali houver um filho da paz, repousará sobre ele a vossa paz; senão, voltará para vós. Permanecei, porém, na mesma casa, comendo e bebendo do que neles houver; pois o operário é digno do seu salário. Não andeis de casa em casa.

E em qualquer cidade em que entrardes e vos receberem, comei o que vos puserem diante.

E curai os enfermos que nela estiverem, e dizei-lhes: 'Está próximo de vós o Reino de Deus'.

Em qualquer cidade, porém, em que entrardes, e vos não receberem, saindo para as suas ruas, dizei: 'Até o pó da vossa cidade, que se nos pegou aos pés, sacudimos contra vós. Contudo, sabei isto: que o Reino de Deus está próximo'. Digo-vos que naquele dia haverá menos rigor para Sodoma do que para aquela cidade!»

Maldição das cidades do lago

| Lc 10, 13-15 |

«Ai de ti, Corozaim! Ai de ti, Betsaida! Porque se em Tiro e em Sidónia se tivessem feito os milagres que em vós se fizeram, há muito elas, sentadas em cilício e em cinza, se teriam arrependido!

Contudo, para Tiro e Sidónia haverá menos rigor, no [dia do] Juízo, do que para vós.

E tu, Cafarnaum, porventura serás elevada até ao céu? Até ao Inferno serás precipitada!»

Quem vos ouve

| Lc 10, 16 |

«Quem vos ouve, a mim me ouve; e quem vos despreza, a mim me despreza; e quem, porém, me despreza, despreza aquele que me enviou».

Volta dos setenta {e dois} discípulos

| Lc 10, 17-20 |

Voltaram, porém, os setenta {e dois} com alegria, dizendo: «Senhor, até os demónios se nos submetem em teu nome!»

Disse-lhes, porém, [Jesus]: «Eu via Satanás, como raio, a cair do céu.

Eis que vos dei autoridade para pisar serpentes e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo; e nada vos fará dano.

Contudo, não vos alegreis nisto, porque os espíritos se vos submetem; mas alegrai-vos por estarem os vossos nomes escritos nos Céus».

O Evangelho revelado aos simples

| Lc 10, 21-22 |

Naquela hora, exultou pelo Espírito Santo, e disse: «Graças te dou, Pai, Senhor do Céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e aos entendidos, e as revelaste aos pequeninos; sim, Pai, porque assim se tornou de agrado perante ti!

Todas as coisas me foram entregues pelo meu Pai; e ninguém conhece quem é o Filho, senão o Pai; e [ninguém conhece] quem é o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar».

Privilégio dos discípulos

| Lc 10, 23-24 |

E voltando-se para os discípulos, à parte, disse: «Bem-aventurados os olhos que veem o que vedes! Pois vos digo que muitos Profetas e reis quiseram ver o que vós vedes, e não viram; e ouvir o que ouvis, e não ouviram!»

O maior mandamento

| Lc 10, 25-28 |

E eis que se levantou certo doutor da Lei, tentando-o, dizendo: «Mestre, que tendo feito, possuirei a vida eterna?»

Ele, porém, disse para ele: «Na lei, que está escrito? Como lês?» Ele, porém, respondendo, disse: «Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de toda a tua força e de todo o teu entendimento, e o teu próximo como a ti mesmo».

Disse-lhe, porém: «Respondeste bem; faz isso e viverás».

Parábola do bom samaritano

| Lc 10, 29-37 |

Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: «E quem é o meu próximo?»

Prosseguindo, Jesus disse: «Certo homem descia de Jerusalém a Jericó, e caiu [nas mãos] de ladrões, que, despojando-o e fazendo-lhe feridas, se retiraram, deixando-o meio morto.

Por acaso, porém, certo sacerdote descia pelo mesmo caminho; e vendo-o, passou ao lado. Igualmente, porém, também um levita {passando} pelo lugar, vindo e vendo, passou ao lado.

Mas certo samaritano, que ia de viagem, veio perto dele e, vendo-o, moveu-se de compaixão; e, aproximando-se, ligou as feridas dele, deitando azeite e vinho. Pondo-o, porém, sobre o seu jumento, levou-o para uma estalagem e cuidou dele.

E no dia seguinte, tomando dois denários, deu-os ao hospedeiro e disse: 'Tem cuidado dele; e tudo o que gastares a mais, eu, quando voltar, to pagarei'.

Qual, pois, destes três te parece ter sido o próximo daquele que caiu [nas mãos] dos ladrões?»

Ele, porém, disse: «Aquele que praticou misericórdia para com ele...» Disse-lhe, porém, Jesus: «Vai, e faz tu igualmente».

Marta e Maria

| Lc 10, 38-42 |

Quando iam eles a caminho, porém, ele entrou em certa aldeia; certa mulher, porém, de nome Marta, recebeu-o.

E esta tinha uma irmã chamada Maria, que, sentando-se aos pés do Senhor, ouvia a sua palavra.

Marta, porém, afadigava-se em torno de muito serviço. Parando, porém, disse: «Senhor, não te importas que a minha irmã me deixe sozinha a servir? Diz-lhe, pois, que me ajude».

Respondendo, porém, disse-lhe o Senhor: «Marta, Marta, afadigas-te e perturbas-te em torno de muitas coisas; mas só uma é necessária. Maria escolheu, pois, a boa parte, que não lhe será tirada».

O Pai-Nosso

| Lc 11, 1-4 |

E aconteceu que, estando ele em certo lugar, orando, quando acabou, disse para ele um dos seus discípulos: «Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou os seus discípulos».

Disse-lhes, porém: «Quando orardes, dizei: 'Pai, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; dá-nos cada dia o nosso pão supersubstancial; e perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo aquele que nos deve; e não nos induzas em tentação.'»

Parábola do amigo importuno

| Lc 11, 5-8 |

E [Jesus] disse para eles: «Quem de vós tiver um amigo, e for até junto dele à meia-noite e lhe disser: 'Amigo, empresta-me três pães, porque um amigo meu vem de viagem a minha [casa], e não tenho que lhe apresentar'; e se ele, de dentro, respondendo, disser: 'Não me incomodes; já está a porta fechada e os meus filhos estão comigo na cama; não posso, levantando-me, dar-tos'... Digo-vos: E se não lhos der, levantando-se, por ser seu amigo, todavia, por causa da sua importunidade, levantando-se, dar-lhe-á de quantos ele precisar».

Eficácia na oração

| Lc 11, 9-13 |

«E eu digo-vos: Pedi, e dar-se-vos-á; procurai e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede, recebe; e quem procura, encontra; e ao que bate, abrir-se-á.

Qual dentre vós, porém, é o pai que, se o filho lhe pedir peixe, e por peixe lhe dará uma serpente? Ou, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião?

Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo àqueles que lhe pedirem?»

Jesus em Jerusalém na festa da Dedicação

| Jo 10, 22-39 |

Fizeram-se, então, as festas da Dedicação, em Jerusalém.

Era inverno; e andava Jesus no templo, no pórtico de Salomão. Rodearam-no, pois, os Judeus e diziam-lhe: «Até quando tomarás a nossa alma? Se tu és o Cristo, diz-nos abertamente».

Respondeu-lhes Jesus: «Disse-vos, e não acreditais. As obras que eu faço em nome do meu Pai, estas dão testemunho de mim. Mas vós não acreditais, porque não sois das minhas ovelhas. As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas seguem-me; e eu dou-lhes a vida eterna, e não perecerão eternamente; e ninguém as arrebatará da minha mão. O meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão do Pai. Eu e o Pai somos um».

Os Judeus pegaram então outra vez em pedras para o apedrejarem.

Respondeu-lhes Jesus: «Muitas obras boas da parte do Pai vos mostrei; por qual destas obras me apedrejais?» Responderam-lhe os Judeus: «Não te apedrejamos por uma obra boa, mas por blasfémia; e porque tu, sendo homem, te fazes Deus!» Respondeu-lhes Jesus: «Não está escrito na vossa lei que 'Eu disse: Sois deuses'? Se chamou deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida (e a Escritura não pode ser anulada), àquele a quem o Pai santificou e enviou ao mundo, vós dizeis que 'Blasfemas'; porque eu disse: 'Sou Filho de Deus'?!

Se não faço as obras do meu Pai, não acrediteis em mim. Mas se faço, e se não acreditais em mim, acreditai nas obras, para que conheçais e saibais que o Pai está em mim e eu no Pai».

Procuravam {pois} novamente, prendê-lo; e ele saiu das mãos deles.

Jesus retira-se para além do Jordão

| Jo 10, 40-42 |

E foi novamente para além do Jordão, para o lugar onde João estava a batizar primeiro; e permaneceu aí.

E muitos vieram até junto dele, e diziam que «João, na verdade, não fez nenhum sinal, mas todas as coisas que João disse deste eram verdadeiras!»

E muitos ali acreditaram nele.

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 


Índice | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12
Topo da página
DVBITANDO, AD VERITATEM PARVENIMVS... ALIQVANDO!